Bancos digitais. É mesmo seguro ter uma conta?

Bancos digitais. É mesmo seguro ter uma conta?

Nos últimos anos os bancos digitais têm conquistado a população brasileira e a aquisição por esse tipo de plataforma tem aumentado muito. Porém, nem sempre foi assim, como toda novidade disruptiva, os bancos digitais eram taxados como desconhecidos ou até mesmo fraudulentos. No entanto, com o crescimento tecnológico e com a internet entrando cada vez mais forte na vida das pessoas, os bancos digitais ganharam espaço e até mesmo exclusividade para alguns usuários, oferecendo serviços e praticidades que facilitam, e muito, a vida de quem os usa. Mas depois de todo esse tempo, os bancos digitais ainda são seguros?

Em um banco digital tudo que se faz é sem necessidade de ir a uma agência física, inclusive a abertura de conta e contratação de serviços. Ainda mais com a chegada do PIX, para transferências e pagamentos, o uso de dinheiro físico tem diminuído muito e também fez uma conexão exata com os bancos digitais, agora pode se fazer quase tudo com um celular com internet.

Como as plataformas bancárias digitais não têm agências, elas tendem a ser menos burocráticas, e também a cobrar menos taxas em comparação às instituições tradicionais. A grande verdade no que tange a segurança bancária é que tanto bancos físicos quanto digitais podem ter problemas. Mas na Era da Informação o que importa é o modo como cada instituição gerencia seus sistemas e como vê a gestão de risco, controles internos e a segurança da informação em si.

Para saber se um banco é seguro deve-se observar alguns aspectos: a ferramenta de reconhecimento facial, a criptografia que é um código que protege os dados do cliente. Tokens de segurança, são códigos gerados na hora da transação o que dificulta acessos fraudulentos. Também a autenticação via selfie e digital entram nos fatores que fazem as contas de bancos digitais serem mais seguras.

Além de tudo isso, os clientes também precisam fazer a sua parte. Criar senhas de acesso seguras, evitando datas e palavras fáceis. Entender que os bancos entram em contato apenas por canais oficiais da instituição e sempre ficar atento aos endereços e números de onde se recebe o contato. E o básico, não informar dados essenciais em plataformas diferentes das oficiais as dos bancos digitais. Por fim, utilizar softwares de antivírus é sempre válido para evitar fraudes, tanto no celular quanto em seu computador.

Procure bancos digitais conhecidos e que já possuem um nome a se zelar, o serviço é muito útil se utilizado de maneira consciente e segura!

Posted by Jhonatan Simões in Sem categoria, 0 comments

Como a Guerra na Ucrânia afeta o bolso do brasileiro?

Desde que as tropas Russas invadiram o território Ucraniano o mundo todo está de olho no Leste Europeu. Pois, por mais longe que esteja, certamente, os impactos desse conflito chegaram, seja em preços ou em insumos. Por isso aqui no Brasil não é diferente, mesmo com a imparcialidade do governo brasileiro perante a guerra, as consequência de uma guerra entre duas grandes nações europeias já são visíveis.

De maneira geral, o mercado vê uma guerra dessa magnitude como uma instabilidade, logo, desde o início, vem reagindo com grande queda nas bolsas globais. Além disso, o grande impacto aos ativos internacionais, como o dólar e o petróleo, desestabiliza toda a economia mundial. Os preços dispararam e o petróleo atingiu alta histórica com maior valor desde 2014.

Com a Rússia sendo um dos maiores importadores de insumos e commodities do mundo, esses acontecimentos fazem com que os preços das matérias-primas e bens básicos aumentem muito. Além do que, as duas regiões envolvidas na guerra são grandes exportadoras de grãos. Portanto, os produtos derivados, como pão ou massas, também podem ter o valor afetado pelo conflito.

No Brasil, indiretamente, estamos sendo afetados em todas essas áreas, a alta dos insumos e produtos básicos para a população já é visível e continua sofrendo com aumentos acima da média inflacionária dos últimos anos. Os principais produtos comercializados entre os países são aqueles relacionados ao agronegócio, principalmente trigo, milho e os fertilizantes. Com o comércio entre eles afetado, a tendência é um aumento nos preços das commodities agrícolas.

O conflito está produzindo impactos na economia brasileira com um aumento maior ainda nas taxas de inflação, puxadas pelas possíveis altas dos combustíveis, que promove um efeito cascata na precificação de todos os produtos na economia, e alimentos.

 

 

 

Posted by Jhonatan Simões in Sem categoria, 0 comments
Black Friday, qual a influência para a economia?

Black Friday, qual a influência para a economia?

O grande evento que marca o mês de novembro é a Black Friday. Com data marcada para acontecer dia 26. Apesar de não ser surpresa pra ninguém que a maior parte dos varejistas já se enfeitaram de descontos.

O brasileiro pretende usar e abusar desses descontos, mesmo que em meio à turbulência do cenário econômico atual. Pesquisas apontam que mais de 70% dos brasileiros vão às compras em 2021, sejam elas fisicamente ou através de plataformas digitais. Afinal, a prática do comércio eletrônico superou as expectativas nesses últimos dois anos, o qual tem a pandemia como razão. Fato esse que trouxe comodidade na hora de comprar aquele celular que tanto deseja ou até mesmo a compra de mercado do mês.  

Os altos índices de inflação e o dólar nas alturas fez com que a produção nacional de produtos diminuísse e aumentasse o custo da importação. Ambos os fatores causaram uma desvalorização do poder de compra do brasileiro. Contudo, os economistas estão otimistas, preveem que o fenómeno das promoções promova uma alavancada no mercado nacional.

 A Black Friday é um ótimo momento para que a economia gire. O fluxo intenso de dinheiro nessa época do ano é natural. As compras do público tendem a se manter em pontos principais, celulares, eletrônicos/eletrodomésticos e principalmente em produtos básicos, como alimentos, higiene, etc. Ou seja, é possível tirar uma média de que a Black Friday será a principal responsável em elevar o fluxo de compra e venda do ano. Seguida por Natal e Ano Novo.

Posted by Laura Thomaz in Sem categoria, 0 comments

Taxa Selic a 4,25% ao ano. Qual o impacto para as Empresas e o Consumidor.

REUNIÃO COPOM

O COPOM (Comitê de Política Monetária) do Banco Central em reunião na última quarta-feira (16/06/21) decidiu por unanimidade aumentar a taxa Selic de 3,50% para 4,25 % ao ano. Um aumento de 0,75%, o maior patamar registrado desde o início de fevereiro. O COPOM se reúne oito vezes por ano para avaliar as alternativas de crédito e economia do mercado brasileiro para então tomar medidas cabíveis ante o cenário econômico. Antes da reunião desta quarta-feira, analistas do mercado financeiro já previam um aumento de 0,75%. Este foi o terceiro aumento desde o início do ano e a previsão é que até o fim de 2021 essa taxa chegue a 6,25% ao ano.

Para tomar a decisão, o COPOM levou em consideração a pressão inflacionária que estamos vivendo. Essa pressão se mostra maior que o esperado. Principalmente entre os bens industriais. Com a decisão o COPOM ainda deixou aberto a possibilidade de um novo aumento, o que será avaliado e discutido em uma nova reunião marca para daqui 43 dias.

Resumo da Taxa Selic, de janeiro 2017 a abril 2021

 O QUE É TAXA SELIC

A SELIC (Sistema Especial de Liquidação e Custódia) ou judicialmente conhecida como Taxa Básica de Juros é uma ferramenta que indica o quanto o Governo paga de Juros para as instituições financeiras que compram títulos públicos do tesouro nacional. Funciona como uma referência. A SELIC é definida pelo COPOM.

Essa ferramenta tem como objetivo estimular ou desacelerar o consumo. Quando essa Taxa está muito alta, faz com que o empréstimo de créditos fique mais caro e consequentemente faz com que as pessoas gastem menos. Quando essa taxa está muito baixa, causa um estímulo para que as pessoas voltem a consumir, fazendo com que a economia fique aquecida e então aumente a inflação quando ela está abaixo da meta.

 

QUAL O IMPACTO PARA O VAREJO

A mudança na Taxa Selic é algo comum. Sempre haverá mudanças. O que muda de uma mudança para outra é o contexto econômico que influencia na alta ou na baixa dos juros. Levando em consideração o cenário atual, este aumento pode ser negativo para as empresas. O aumento de Juros faz com que os empréstimos fiquem mais caros, o que pode dificultar o investimento em novos produtos e no aprimoramento de serviços. Neste cenário, o faturamento da empresa pode vir a fica baixo, o que irá impactar diretamente sua reserva financeira.

 

QUAL O IMPACTO PARA O CONSUMIDOR

Como vimos antes, a alta na Taxa Selic faz com que as pessoas decidam por gastar menos, retendo o máximo que puder de sua renda. O ato de consumir então se torna uma decisão mais sensível, o que vai levar o consumidor a escolher por opções mais baratas no supermercado e procurar por alternativas mais econômicas para suprir as demais áreas de sua vida como lazer, vestimentas, desenvolvimento entre outras que compõe sua existência na sociedade.

Posted by Gustavo Teixeira in Sem categoria, 0 comments
Carteira Digital, facilitando sua vida financeira!

Carteira Digital, facilitando sua vida financeira!

Você muito provavelmente já usou, mas não sabe do que se trata. A carteira digital está inserida em nosso dia a dia e presente a todo instante quando precisamos realizar transações financeiras de maneira mais prática e rápida.

Ir até a lotérica para pagar um boleto, se tornou obsoleto para muitas pessoas, afinal, porque enfrentar uma fila para efetuar um pagamento, se podemos fazer isso no conforto de nossa casa, enquanto estamos no horário de almoço do trabalho, ou quando já são mais de 18h da tarde. Com apenas alguns cliques, resolvemos boa parte de nossa vida financeira 7 dias por semana 24 horas por dia.

O uso desta carteira não está destinado apenas a pagamentos de boleto e transferências financeiras de uma conta a outra. O principal uso da carteira digital está presente nas compras realizadas em lojas virtuais na internet, pois proporciona uma compra mais segura e rápida.

De acordo com o relatório do Worldpay, em países como a China, líder nesse segmento, o método é utilizado em 71% dos gastos no comércio eletrônico. No entanto, seu uso tem crescido no mundo todo. Em 2018, era o meio preferido de 36% dos consumidores globais, já em 2019, esse número subiu para 42%, intensificando-se no período de Pandemia causada pelo COVID-19.

A Carteira Digital, nada mais é do que o uso do seu smartphone vinculado a uma conta bancária digital através de aplicativo para efetuar toda e qualquer transação financeira. Os benefícios são diversos e os mais evidentes são o fato de termos mais flexibilização de tempo e facilidade de acesso às instituições financeiras, podendo agendar pagamentos, aplicar fundos a poupança, realizar investimentos sem restrições de horário.

Uma das características da Carteira Digital é a nova tecnologia de transferência via CPF, CNPJ, E-mail ou Telefone, o famoso PIX.

Posted by Camila Borges in Sem categoria, 0 comments
Como conseguir guardar dinheiro de forma eficaz?

Como conseguir guardar dinheiro de forma eficaz?

Para algumas pessoas, conseguir guardar dinheiro de forma eficaz pode parecer ser um grande desafio. Mas nesta semana a Redecred vai te dar dicas de como guardar dinheiro de forma simples e bem prática. Para você ter maior tranquilidade financeira em longo prazo. Continue reading →

Posted by Camila Borges in Sem categoria, 0 comments
Por que as lojas perguntam seu CPF antes de oferecer crédito?

Por que as lojas perguntam seu CPF antes de oferecer crédito?

Você vai até uma loja e a vendedora pergunta se você não gostaria de fazer um cartão da loja. Você resolve fazer e a na sequência a vendedora pergunta seu CPF. Isso já aconteceu com você? Sabe por que isso acontece? Nesta semana a Redecred vai te explicar tudo sobre Pesquisa de Crédito. Continue reading →

Posted by Camila Borges in Sem categoria, 0 comments
Pós-pandemia, o que muda para o empreendedorismo?

Pós-pandemia, o que muda para o empreendedorismo?

 Com o processo de vacinação acontecendo de forma cada vez mais rápida, é provável que até o fim deste ano, ainda seja comentado os primeiros impactos causados pela pandemia de Covid-19. No futuro, teremos muito que contar: centros urbanos desertos, supermercados fechados, e toda uma sociedade vivendo 100% dos seus dias dentro de casa. O empreendedorismo sofreu muito com este período e a pergunta da vez é: o que mudará para o empreendedorismo no pós-pandemia? Continue reading →

Posted by Camila Borges in Sem categoria, 0 comments